Guia de Conversação para Turistas na Turquia

Inscreva-se já e receba nosso conteúdo -

domingo, 18 de dezembro de 2016

Perfil Público no Facebook - Luciane Köşlü

Olá pessoal,

Criei um perfil no FB para adicionar quem tem interesse em falar sobre: Turquia, cultura turca e língua turca.Vira e mexe tinha gente querendo adicionar o meu perfil de uso pessoal e mesmo sugerindo o perfil do Esmirna percebia um certo desapontamento.

Mas sem me privar do meu direito à privacidade decidi fazer este perfil, quem quiser manter contato para trocar ideia será bem-vindo.



https://www.facebook.com/luciane.koslu.perfil.publico


Gostaria somente de deixar claro que:

- Não dou consultoria sentimental, nem psicológica;

- O telefone da Esmirna Aulas de Turco é para assuntos comerciais: para marcar demonstração de aula, para saber sobre as aulas. Tradução apenas pelo site www.esmirnaaulasdeturco.com na aba Tradução;

- O intuito dessa interação é de trocar experiência num ambiente saudável mesmo que virtual. Não force a intimidade me tomando por sua melhor amiga, sua confidente ou semelhante.


Parece rude da minha parte escrever as coisas acima, mas já tivemos incontáveis casos de pessoas nos ligando até fora de hora, ou enviando mensagens pelo Whatsapp pedindo tradução, capítulo da novela turca de ontem, telefone do Mehmet Akif Alakurt ... gente falando que tava em depressão porque o turco tinha bloqueado ela no Whatsapp (mesmo gente que nem estava na nossa lista do Whatsapp...)

Agora vou contar o porquê de abrir para a interação com quem segue nosso trabalho: houve uma época, no começo do blog, em que eu interagia com todos que me escreviam, comentavam ... com alguns cheguei a me encontrar pessoalmente - isso quando eu morava na Turquia.

E por causa de algumas pessoas que pisaram na bola feio cheguei a pensar a tirar o blog do ar - e de fato tirei por um tempo...

Uma abusou da minha boa-fé: o marido dela me pediu para ir como tradutora na hora do parto da filha deles (marido e mulher não falavam a mesma língua) e depois do parto a médica me mostrou a cicatriz no ventre dela perguntando se ela não tinha tido outro filho antes - eu tinha falado que não, que aquele era o primeiro bebê. Detalhe: ela nunca tinha me falado nada de filho algum, e a família do marido ultra-conservador sabia tudo. Eu, a tradutora que tava lá na "boa-hora" era a única trouxa que não sabia!

Fiquei a noite toda do lado dela na maternidade e ela ainda saiu falando que eu a abandonei no hospital quando soube do filho. Não, não cobrei tostão nenhum.

A gente tinha se conhecido pelo blog.

A segunda situação foi uma brasileira que nem morava em Izmir, e falava que o marido era jornalista. Depois quando calhou da gente viajar para a cidade onde ela morava e nos conhecemos meu marido perguntou pra qual jornal o marido dela trabalhava (que estava vindo para encontrar a gente)  e ela deu o nome dum jornal ligado a um grupo terrorista que sempre está nas mídias turcas. Cortei o contato cortei a amizade!

Assim, hoje mais madura e bem menos ingênua decidi voltar a interagir com quem acompanha nosso trabalho, dentro do bom senso, dentro do que agrega valor para as duas partes. Pode ser que surjam amizades incríveis mas que sejam fruto de uma relação natural e não de "vamos-ser-amigas-porque-você-é-casada-com-turco!"


Um bom domingo para vocês e até amanhã ;)



Em 2018, um site para brasileiros e turcos

Em 2018, um site para brasileiros e turcos
Namoro, amizade, casamento ou passatempo: somente o destino pode dizer.