Siga-me no Twitter

Inscreva-se já e receba nosso conteúdo -

Aulas de Turco

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Levando um Turco no restaurante grego Taverna Grega e porque eu me decepcionei + mais rolezinho na Paulista

Olá pessoal,

Saindo do Cemitério da Consolação caminhamos sob sol relativamente forte até a Taverna Grega - que não faz muito tempo que funciona em São Paulo.

Por duas vezes ao passar de táxi indo para o Turkish Döner Kebab (restaurante turco com meu mantı favorito) meu marido falou para um dia irmos ao Taverna.

Como era feriado, liguei para saber se estariam funcionando. E a senhora que atendeu o telefone se esforçava em me entender porque a casa estava cheia e barulhenta.

"- Deve ser bom." - pensei.

Depois de andarmos, nos perdermos nos Jardins, nos acharmosi pedirmos informação chegamos ao local.

Agora vou ser bem direta em minhas considerações:

- mesmo comentando sobre a ascendência grega do meu marido o Chef não se mostrou lá muito interessado em bater-papo (primeiro já foi avisando que não falava Português. Perguntei se falava inglês e diante da afirmativa comecei a falar em inglês informando que "tinha trazido um turco, mas que era metade grego para apreciar a comida do restaurante". Ele ficou me olhando com cara de "ué");

- o garçom Lucas foi show de bola, simpático, deu atenção pra gente trocou ideia com o meu marido. Mas o fato que queimou o filme veio depois ...

- depois de desgustarmos o "ekmek kadayfı" sem ekmek (entendedores entenderão) o garçom muito simpático ofereceu café como cortesia. Ainda deu opção: grego ou brasileiro. Pedimos dois gregos e quando ele se dirige ao balcão a mulher que estava ao caixa dá um grito: "acabou o café". Ele indagou num tom mais baixo e ela disse "tem que parar com isso de ficar oferecendo café de cortesia..."

Quando ele perguntou "com açúcar ou sem" fiz um sinal discreto para que se aproximasse. Falei que não queríamos criar problemas e que eu tinha ouvido o que ela disse. Ele - meu santo Deus, até pareceu Turco!!!! - disse que ela na verdade havia perguntado se era com açúcar ou sem.

Pedimos sem açúcar e comentei com meu marido o papelão. Antes que o leitor pense "mas você também Luci você é foda vai levar logo um Turco num restaurante de um Grego!" eu digo que não acredito que tenha sido essa a razão (de forma alguma!) porque no Acrópoles fomos muito bem tratados pelo patriarca que comandava o tradicional restaurante (soube que ele faleceu recentemente, que Deus o tenha!) e especialmente para meu marido deu um prato com iogurte com azeite e berinjela muito bem servido. Não estou adulando por causa do "ikram" (cortesia), mas sim porque ele de fato foi gentil do começo ao fim, independente da "do prato por conta da casa".

O Taverna Grega pode até ficar cheio, o chef de repente somente fale Inglês e Português funcionalmente (entendedores entenderão) e estava ocupado demais para bater papo, muito ocupado para esboçar um sorriso chocho que fosse. Mas a falta de classe no final com o lance do café já me causou uma péssima primeira impressão. Se me falasse o preço eu pagava, não precisava se prestar a esse papelão.

A única coisa que eu vou pontuar é o atendimento do garçom e com um 10.

Seguem as fotos








Da próxima vez vou com minha sogra, que é conterrânea do chefe (quem sabe o tratamento mude...)


Fotos de cadeados de apaixonados na Paulista - importaram a moda da Europa, bom pra quem vive de vender ferro....




"-Pra quê isso?????"


Será que foi uma homenagem ou protesto da violência no trânsito?



Beijo da Luci

O Segredo Revelado!