Guia de Conversação para Turistas na Turquia

Inscreva-se já e receba nosso conteúdo -

domingo, 13 de janeiro de 2013

Tratado sobre cara-de-pau, MUNDO

Olá pessoal,

Nao sei se vocês lembram do post sobre "cara-de-pau" (http://lucinaturquia.blogspot.com/2012/02/trofeu-cara-de-pau.html) onde copiei e colei o e-mail de uma pessoa que trabalhou comigo num cargo de chefia, sempre me ignorando (ignorando até mesmo meus "bom dia") e que decidiu enviar esse e-mail somente porque eu estou morando fora do país.

Sim, isso é fato. Antes de me mudar pra cá eu havia saído de Sao Paulo e morado 8 meses numa cidade a 35km de lá e ninguém, absolutamente ninguém desse bando de "conhecidos":

- me enviou email pra saber como eu estava,
- me perguntou quando poderia me fazer uma visitinha.

Por um momento eu achei que esse traço de cara-de-pau fosse algo que somente ocorresse em nossa sociedade, onde alguns (bom frizar aqui que nem todos, viu pessoal ?) ainda têm aquele deslumbramento sobre morar no exterior.

Objetivo ? Economizar com custos com hotelaria e operadora de tour uma vez que você, como boa amiga de infância que somente é na cabeça do "cara-de-pau"que apenas era teu conhecido, irá certamente oferecer sua casa e seu tempo (além dos dotes para traduçao adquiridos em seu novo lar) a aquele que, enquanto estava ao seu lado em seu país nunca te deu tanta bola assim, mas uma vez que você mudou seu endereço pra milhas e milhas do original passou a ser uma pessoa interessante.

Falando claramente: na sexta-feira eu estava trocando idéia com uma amiga russa que me narrou um caso curioso e que me pareceu filme reprisado. Eu ri muito, mas muito porque me pareceu alguns dos meus próprios relatos e de outras amigas brasileiras que para cá se mudaram.

Segue o relato dela:

"Sou de Moscou e tenho primas que moram em Saint Petesburgo, as duas cidades ficam a 7 horas de trem uma da outra. Apesar de serem meus parentes nunca fomos próximas, no máximo uma escreve pra outra em datas especiais como aniversário, Natal, Ano-Novo ... mas tudo por e-mail e agora pelo facebook. Nunca me deram um telefonema e eu tao pouco.
Até o dia em que mudei pra cá! Mudei meu endereço no facebook, coloquei "İzmir" e postei algumas fotos do meu entao noivo. Elas, assim que viram isso, elas que nunca fizeram uma ligaçao interurbana imediatamente me ligaram de Saint Petesburgo, uma ligaçao que é muito, mas muito mais cara!
Falaram que estavam morrendo de preocupaçao comigo, para eu ter cuidado e tal. Oras, enquanto eu morava em Moscou ninguém nunca se preocupou comigo se algo poderia me acontecer etc ... só por que eu saí do país passei a ter importância ???"

Também falou dos posts daqueles que eram apenas conhecidos mas que de repente adquiriram status de amigos de infância. Recebeu muito post do tipo:

"Nossa te admiro demais. Você é uma pessoa guerreira."
"Saudades."
"Quando podemos te visitar?"
"Quando vai providenciar o bebê?"

Pra alguns ela chegou a responder claramente: "enquanto eu morava em Moscou, você morando num bairro vizinho nunca se preocupou em ir na minha casa, por que agora que eu estou longe você quer vir ?"

Os russos têm um jeito direto de abordagem que sinceramente eu acho ótimo. Odeio gente duas caras, eles vao lá e falam na lata.

Eu ri muito porque percebi que os caras-de-pau russos sao tao cara-de-pau quanto os brasileiros. Daí nosso camarada norueguês chega e eu conto o relatado acima e pergunto pra ele:
- E seus conhecidos, também passaram a ser seus "amigos de infância"?
- Nao, nao tive isso nao. Mas eu acho que isso é mais coisa que acontece entre mulheres ...

Eu e minha amiga nos entreolhamos. Fazia sentido. Chega o camarada americano e fazemos a mesma pergunta:
- Well, normalmente meus amigos perguntam quando eu vou voltar pros Estados Unidos, nao o contrário.

Agora tem um ponto: perguntei pra dois estrangeiros homens oriundos de países de 1o mundo, entao ainda nao posso afirmar que meu amigo norueguês tenha razao. O norueguês veio morar temporariamente, o americano namora uma turca entao ainda nao posso dizer que eles têm residência fixa.

Taí mais um tema pra minha próxima pesquisa, tentando entender certas dinâmicas que regem as relaçoes humanas. E por falar nisso, aproveito pra deixar a dica de leitura "Amor Liquido", de Zygmunt Bauman.


Nota: lembrando que o termo "cara-de-pau" vale pra aquela pessoa que nem era tao teu chegado assim, mas que de repende se descobriu seu super-amigo só porque você casou com gringo e mudou de país ...


Beijos pra vocês !

Luci

Em 2018, um site para brasileiros e turcos

Em 2018, um site para brasileiros e turcos
Namoro, amizade, casamento ou passatempo: somente o destino pode dizer.